sexta-feira, 1 de março de 2024
Geral 28, dezembro, 2023

Agevisa alerta população sobre cuidados para comprar os alimentos para o Réveillon

thumb

AAgência Estadual de vigilância Sanitária (Agevisa-PB) divulgou alerta para a população se proteger de doenças causadas por alimentos e bebidas consumidas em bares, restaurantes e outros ambientes públicos, durante as festas de Réveillon. Para evitar problemas, é importante ter precaução com a higiene, manipulação, acondicionamento, preparo e conservação dos alimentos. E nos casos dos produtos comercializados na rua ou na areia da praia, por exemplo, os cuidados devem ser redobrados.

O diretor-geral da Agevisa/PB, Geraldo Moreira de Menezes ressalta que todo período festivo é bastante delicado. E, além dos cuidados essenciais como beber muita água e evitar a exposição excessiva ao sol, as pessoas devem reforçar a atenção em relação aos alimentos e bebidas que consomem, seja em casa ou em lugares públicos, onde são maiores os riscos de se contrair infecções causadas pela ingestão de comida estragada.

“E no caso de o consumidor observar falhas de qualidade ou de segurança, a orientação é que ele entre em contato com as empresas responsáveis pelos alimentos ou com a Vigilância Sanitária local. Nós temos a Ouvidoria da Agevisa, que atende pelo telefone 83-98814-7935 e que pode ser acionada através do endereço ouvidoria.agevisa@agevisa.pb.gov.br”, destacou.

A gerente-técnica de Inspeção e Controle de Alimentos, Água para Consumo Humano e Toxicologia da Agevisa-PB, Patrícia Assunção, divulgou um conjunto de recomendações elaborado pelo Grupo Técnico da Rede de Alerta e Comunicação de Riscos de Alimentos da Anvisa destacando os procedimentos que devem ser observados pelos consumidores.

“A Anvisa recomenda que os consumidores fiquem de olho na rotulagem nutricional dos produtos, principalmente dos tradicionais panetones e chocotones. E muitos dos fabricantes já aplicaram as novas regras, e a lupa na frente da embalagem chama a atenção para altos teores de açúcares adicionados, gordura saturada e sódio”, ressaltou Patrícia.

Rotulagem nutricional – A nova norma sobre rotulagem nutricional de alimentos embalados facilita a compreensão das informações nutricionais. A ideia é esclarecer o consumidor, de forma simples, sobre o alto conteúdo de nutrientes que afetam a saúde (açúcares adicionados, gorduras saturadas e sódio). Vale observar que ainda há produtos com rotulagens não adequadas, uma vez que está permitido o esgotamento do estoque de embalagens e rótulos antigos até o dia 09 de outubro de 2024, no caso de fabricantes que adquiriram embalagens até o dia 08 de outubro de 2023.

Validade e outras condições – Ao fazer as compras, verifique se os produtos estão dentro da validade e conservados nas temperaturas e condições adequadas. Inspecione as embalagens e confira a integridade delas. Observe se não há sinal de danos, como rasgos, furos e superfícies amassadas.

Em casa, guarde os produtos conforme as orientações do fabricante, presentes no rótulo. Alimentos conservados em temperaturas superiores às necessárias podem ser foco de multiplicação de micróbios perigosos.

Organização da cozinha – Antes de iniciar a preparação dos alimentos, lave bem as mãos. A orientação também é aplicável após a realização de outras atividades, como abrir a porta, manusear eletrodomésticos e utensílios, ir ao banheiro etc. Depois de lavar as mãos, higienize os equipamentos, as bancadas, as superfícies e os utensílios que serão utilizados, como facas e tábuas para corte.

A higienização é importante porque os micróbios das mãos e do ambiente podem contaminar os alimentos e provocar as chamadas doenças de transmissão hídrica e alimentar (DTHAs). Uma boa forma de limpar equipamentos e utensílios em casa é usar água e sabão em abundância. Se for necessário desinfetá-los, pode-se aplicar uma solução preparada com água sanitária, que deve ser diluída conforme as orientações do rótulo.

Manipulação de alimentos crus – Evite o contato de alimentos crus com alimentos cozidos. Além disso, lave os utensílios usados no preparo de alimentos crus antes de utilizá-los em alimentos cozidos. Os alimentos crus podem conter micróbios perigosos. A intenção é não transferir os possíveis micróbios dos alimentos crus para os cozidos durante a preparação. Na hora de armazená-los, vale a mesma regra: guarde os alimentos crus e os cozidos em embalagens ou recipientes exclusivos e fechados.

Higienização dos alimentos – Alguns alimentos precisam ser higienizados antes de seu preparo. Frutas e verduras, por exemplo, carregam micróbios do seu ambiente natural. Por isso, é importante lavar esses alimentos em água corrente para retirar as sujeiras visíveis, como terra e insetos. Feito isso, deixe-os de molho em uma solução própria para sanitização e enxague-os.

Leia o rótulo do sanitizante, veja se o produto está regularizado na Anvisa, se há indicação para uso em alimentos e siga as orientações de diluição e tempo de contato. Dessa forma, você garante a eliminação dos micróbios e evita o risco de contaminação do alimento com substâncias perigosas.

Cozimento – O cozimento dos alimentos é um ponto importante para garantir a segurança sanitária. A comida deve atingir uma temperatura que seja suficiente para matar os micróbios mais perigosos. Por isso, recomenda-se cozinhar bem as carnes. Para ter certeza do completo cozimento, verifique a mudança na cor e a textura da parte interna do alimento. No caso de carnes bovinas e de aves, tome cuidado para que as partes internas não fiquem cruas (vermelhas). Os sucos dessas carnes devem ser claros e não rosados.

Ceia pronta – Depois de preparar a ceia, atenção à temperatura e ao tempo para servir os alimentos. Os micróbios se multiplicam rapidamente em temperatura ambiente. Alimentos quentes devem ser mantidos, até a hora de servir, em temperatura alta (acima de 60º C), e alimentos frios em temperaturas mais baixas (abaixo de 5º C). Procure diminuir ao máximo o tempo entre o preparo e o consumo dos alimentos.

Conservação – Os alimentos preparados e servidos quentes devem ser consumidos logo após o preparo. Se for preciso preparar o prato com antecedência, guarde o alimento preparado sob refrigeração e o esquente na hora de servir.

Guarde os alimentos cozidos e os perecíveis na geladeira (abaixo de 5º C). O prazo máximo de consumo do alimento preparado e guardado sob refrigeração deve ser de cinco dias.

Não descongele alimentos à temperatura ambiente. O descongelamento deve ser realizado em condições de refrigeração, em temperatura inferior a 5º C, ou em forno de microondas, quando o alimento for submetido imediatamente ao cozimento. Não se deve tirar um alimento do freezer e colocar sobre a bancada da pia para degelar até a hora do preparo porque os micróbios se multiplicam muito rapidamente. Mantendo a temperatura abaixo dos 5º C e acima dos 60º C, sua multiplicação é retardada e até evitada.

Entendendo as DTHAs – As doenças de transmissão hídrica e alimentar (DTHAs) são causadas pelo consumo de alimentos ou água com micróbios prejudiciais à saúde, parasitas ou substâncias tóxicas. No geral, eles entram em contato com o alimento durante a manipulação e o preparo. Daí a importância de se manter os ambientes limpos e higienizados.

Fonte – SECOM-PB