sexta-feira, 1 de março de 2024
Geral 9, dezembro, 2023

Museu do Artesanato recebe exposição de artigos feitos com papelão e papel

thumb

O Museu do Artesanato Paraibano Janete Costa, localizado na Praça da Independência, em João Pessoa, recebe neste final de ano a Exposição “Que papelão! – A arte em papel de Dadá e Geo”, dos artistas Dadá Venceslau e Geo Oliveira. A Exposição será aberta na próxima quarta-feira (13), às 16h, e segue até 16 de março de 2024, de terça a domingo, das 9h às 17h, na sala de exposições Mestra Zefinha de Pitimbu, que fica dentro do Museu.  Serão expostas peças como bolsas, casas, palhaços, trapezistas, malabaristas, comunidades, bois, máscaras, entre outros itens de papel e papelão.

A primeira-dama do estado e presidente de Honra do Programa do Artesanato Paraibano (PAP), Ana Maria Lins, enfatizou a relevância das ações de incentivo ao artesanato e enalteceu o trabalho de Dadá Venceslau e Geo Oliveira. “Como presidente de Honra do PAP desde 2019, pude conhecer mais de perto Geo e Dadá e fiquei encantada com as peças maravilhosas feitas de papel e papelão. Chamam bastante atenção o colorido e a alegria dos produtos. Com certeza, a exposição terá sucesso e vai atrair um seleto público para o Museu”, observou.

“É um momento muito especial, onde o PAP faz justiça a dois grandes artistas, artesãos que estão conosco. Geo e Dadá, além de serem colaboradores do Programa, são artistas que são amigos e parceiros há muitos anos. É uma satisfação muito grande para o PAP e para o Museu expor e fazer com que outras pessoas conheçam a riqueza da produção artesanal desses ícones da cultura popular paraibana”, pontuou a gestora do PAP, Marielza Rodriguez.

Segundo o diretor do Museu do Artesanato, Fábio Morais, os artistas vão trazer um rico acervo de produtos criados com a técnica da papietagem e com um colorido extremamente lindo que retrata a visão de cada um. “Para o Museu, é uma alegria abrir essa exposição com Dadá e Geo e poder mostrar cultura popular, afeto, artesanato, além de tornar o espaço o que ele realmente é, que é um centro cultural com acervo fixo do artesanato paraibano no casarão principal e que mostra mais artesanato ainda no anexo na Sala Mestra Zefinha. Esperamos que os pessoenses e os turistas venham conhecer essa exposição tão alegre que permite uma viagem na memória e no afeto desses artistas que pode tocar o coração de qualquer pessoa que se identificar, seja com um palhaço do Dadá, seja com uma máscara do Geo, um elemento, enfim, esperamos que todos participem e levem um pouco dessa alegria após visitar o Museu”, frisou.

O artista Dadá Venceslau comentou que a exposição tem vários sentidos, mas a grande inspiração é o papelão. “O título da exposição é bem provocativo. ‘Que papelão!’ tem vários sentidos, mas é o papelão que nos inspira a trabalhar justamente com todos os tipos de papel: papel jornal, papel Kraft, papel de embrulho, papel ofício, ou seja, todos os papéis e o papelão, o qual é responsável pelas bases, pelos formatos, por tudo. Inclusive o papelão é um dos materiais de reaproveitamento que mais tem no planeta. O papelão é até fonte de renda também, já que muita gente vende o papelão e nós o transformamos em arte”, observou.

Dadá Venceslau ainda garantiu que o público vai poder apreciar uma exposição com muita luz, cor e alegria. “O público vai ver o trabalho de duas linguagens diferentes. Eu e Geo trabalhamos juntos, no mesmo atelier, dentro do Museu do Artesanato paraibano. Geo traz a linguagem da cultura popular fazendo máscaras, bois, bolsas, muita coisa com fitas, muita coisa para ilustrar. Já eu trabalho com o universo do circo, levando os palhaços, trapezistas, malabaristas. Apresento também muita coisa do cotidiano, residências populares, favelas, comunidades, tudo com papel, papelão, usando caixas de remédios. A exposição é muito colorida, muito alegre. As pessoas vão ficar muito felizes lá dentro, por verem esse lixo sendo transformado em arte. É o luxo do lixo”, afirmou.

O artista Geo Oliveira é natural de São Mamede, mas mora em João Pessoa e trabalha desde muito cedo com arte, devido uma tradição da família. “Minha influência vem da minha mãe, das minhas tias, minha avó e meu avô, os quais faziam artesanato. Há praticamente três meses, eu e Dadá estamos trabalhando em peças para esta exposição. Venho produzindo uma série de personagens com papel machê. Trabalho com maracatu, pastoril, bumba meu boi, lapinha, meu universo de trabalho é este. Além disso, meu objeto de pesquisa são as moças do caritó, que não casam. Então eu faço máscaras, personagens e ponho os nomes de mulheres da minha região que trazem memórias afetivas do meu Sertão”, contou.

Ele também explicou, de forma resumida, como acontece o processo de criação de algumas de suas peças. “Trabalho com a base de arame, geralmente, e após a base feita, venho com camadas de papel e cola. Deixo o produto secar, depois passo uma mão de massa corrida, lixo e vou pintar. Minhas cores são muito primárias, como o azul e o vermelho. O público vai encontrar um lindo trabalho na exposição ‘Que papelão!’”, garantiu Geo.

Serviço

Exposição “Que papelão!”
Visitação: 13/12/23 a 16/03/24
Horário: 9h às 17h (terça a domingo)
Local: Museu do Artesanato Paraibano (Praça da Independência, 56 – Centro)

Fonte – SECOM-PB