c João Pessoa
23/10/2020 - 18:24

Democracia, temos uma?

image
Augusto Magalhães

Democracia. Governo em que o povo exerce a soberania. Sistema político em que os cidadãos elegem os seus dirigentes por meio de eleições periódicas. A democracia é o governo do povo, pelo povo, para o povo… São muitos os conceitos e poucos os direitos, na prática, que a Democracia brasileira proporciona ao seu povo. Aliás, será que temos mesmo uma democracia? Nada melhor do que questionar-se sobre isso no dia 15 de setembro, Dia da Democracia.

Então, vejamos o que diz a teoria e o que temos na prática. Depois de um triste capítulo da nossa história em que vivemos por 21 anos – de 1964 a 1985 – sob o regime de uma ditadura militar, eis que brilha o sol de um novo tempo e o Brasil estufa o peito se achando um país democrata.

A movimentação nas ruas em 84 (Diretas, já) e outros movimentos nos deram uma esperança danada de que viveríamos em uma Democracia, com direitos iguais, com educação de qualidade, com saúde em pleno funcionamento e segurança para ir e vir livremente, andando nas ruas como quem circula em seu próprio jardim.

Assembléia Constituinte formada para elaborar uma nova Carta Magna, discussões relevantes, avanços históricos, direitos garantidos. O trabalhador brasileiro se sentia representado. Tudo era muito bom para ser verdade. O modelo no papel da nova Constituição de 1988 é perfeito. Começa assim: “O poder emana do povo e em nome dele deve ser exercido” (acho que é isso, assim a minha memória me diz!).

Finalmente vamos eleger o presidente! Ufa! 1964 ficou para trás! A beleza da capa da Constituição de 1988 vendida em formato de livro de bolso em bancas de revista também ficaria para trás. Seu conteúdo nunca foi levado a sério!

Os brasileiros, agora vivendo numa Democracia, nunca tiveram seus direitos respeitados. Senão, vejamos alguns exemplos: se os direitos são iguais, por que deputados e senadores têm direito a receber auxílio paletó (isso mesmo, auxílio financeiro para comprar paletó!) e eu, se quiser ir de blazer para o trabalho tenho que ir numa loja e comprar com o meu salário? Esse exemplo é banal, apenas um paletó!!!

Vamos a outros casos curiosos: que Democracia é essa em que os políticos que moram em Brasília recebem do governo passagens de avião para visitar familiares em seus Estados de origem? Eles não poderiam comprar com seus salários? Por que os trabalhadores que não são políticos não recebem também passagens de avião para visitar familiares? Os direitos são iguais?

Que Democracia é essa em que os políticos brasileiros não podem tirar dos seus salários o valor da prestação de um imóvel financiado pelo banco de sua preferência? Eles recebem auxílio moradia, mas os outros trabalhadores financiam um imóvel em até 30 anos e tiram a prestação do próprio salário! Que igualdade de direitos é essa?

Que Democracia é essa em que os políticos possuem plano de saúde integral extensivo a toda a família e o trabalhador comum tem que pagar do próprio salário para ter direito a um plano de saúde?

Vários itens poderiam ser enumerados na série: “Que Democracia é essa?”, mas me tornaria enfadonho se fosse escrever sobre eles. O que temos que pensar agora é sobre quem escolhemos para pôr em prática a Democracia que conquistamos. Exercer o direito do voto não basta. Ser uma Democracia apenas para sair de casa registrar o voto numa urna eletrônica é muito pouco!

Democracia é ter o direito de escolher o presidente e demais representantes do povo, mas não é só isso. Democracia é fazer com que os escolhidos não sejam tratados como reis e rainhas a quem os súditos eleitores são eternamente gratos e infinitamente inferiores.

Democracia é fazer com que os escolhidos se igualem aos que os escolheram. Poderemos ter isso um dia? Sim. Basta a grande massa de trabalhadores parar os motores toda vez que um absurdo acontecer.

Gostaria de saber como os políticos viajariam de avião se os comissários de bordo parassem de trabalhar.  Gostaria de saber como usariam o auxílio paletó se não tivessem vendedores e paletós para comprar. Gostaria de saber como usariam o plano de saúde se os médicos e enfermeiros deixassem de atender.

O Brasil precisa de uma revolução democrática. Precisa revolucionar o próprio jeito de enxergar e usar sua Democracia. O que dizer da reforma administrativa em que os militares, políticos e judiciário ficaram de fora? Já seria motivo de sobra para iniciar essa revolução!

Se os direitos são iguais, que políticos comprem seus paletós, usem o Sistema Único de Saúde, paguem suas viagens e a prestação de suas casas próprias.

Democracia só no papel com letrinhas miúdas e capinha verde-amarela não enche barriga! Que o Brasil trate sua Democracia como ela merece ser tratada: com direitos iguais e sem privilégios para uma minoria.

Assim, quem sabe, um dia qualquer, poderemos dizer que vivemos uma Democracia!

Vamos tomar um café?


Foto: Reprodução/pixabay.com