Quinta, 24, Junho, 2021
Geral 30, maio, 2021

Sedec reforça necessidade de atividades lúdicas para diminuir o tempo das crianças no uso de aparelhos eletrônicos

thumb

Com a pandemia de Covid-19 e a necessidade do distanciamento social, o uso da tecnologia ficou cada vez mais presente na vida das crianças. Se antes era mais por diversão, agora elas precisam do auxílio de smartphones, tablets e computadores para assistirem aulas. A Secretaria de Educação e Cultura (Sedec) da Prefeitura de João Pessoa reconhece a importância tecnológica neste momento, mas reforça necessidade de outras atividades lúdicas para estimular o desenvolvimento da criançada.

De acordo com a diretora de Educação Infantil da Sedec, Maria Sonaly Machado de Lima, desde o início da pandemia a orientação da Secretaria aos professores e pais de alunos é desenvolver outras atividades lúdicas, brincadeiras com jogos e outras interações para minimizar o tempo das crianças à frente da televisão e de outros meios tecnológicos.

“Nesse sentido, compreendemos e valorizamos a importância de uma rotina organizada, respeitosa e significativa, pautada nas interações e brincadeiras. Proporcionando vivências e brincadeiras com jogos, contação de histórias, danças, músicas e envolvimento das crianças nas atividades cotidianas da rotina familiar essas ações despertaram boas e inusitadas sensações nas crianças. É importante destacar que o envolvimento dos adultos, foi fundamental para que as crianças percebessem suas potencialidades aprendendo coisas novas e estreitando cada vez mais os laços afetivos com seus familiares”, explicou.

Atenção dos pais – A psicóloga da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Estelita de Souza, alertou sobre a necessidade de redução do tempo que as crianças ficam em frente às telas. Segundo ela, muitas vezes os próprios pais, pela correria do dia a dia, acabam estimulando isso. Para fazer esse ‘desmame’, é importante o diálogo e estimular outras atividades.

“O primeiro passo para reduzir o uso de celular pelas crianças é conversar muito. Não adianta proibir sem explicar o motivo, isso só gerará frustração. É importante ter diálogos francos, explicar os efeitos negativos do uso de celulares em linguagem adequada para a idade e propor acordos com horários limitados. Organizar a rotina da casa é outra estratégia importante e necessária para promover essa redução da tecnologia”, explicou.

Além da redução em frente às telas, Estelita salientou que os pais precisam ter atenção com o que os filhos estão fazendo na internet. Os riscos são grandes, desde à exposição à pornografia, além de outros perigos como assédio, aliciamentos e golpes.

“É importante que os pais acompanhem os acessos virtuais dos filhos da mesma forma como é feito no mundo “real”. Os pais têm de monitorar da mesma forma que monitoram a casa do amigo que o filho vai, a praça que vai frequentar, a festa, porque é como se fosse um espaço público, só que virtual. Os principais riscos do uso da internet por crianças e adolescentes são os acessos a conteúdos inapropriados para a idade, como pornografia, a exposição de privacidade em redes sociais e até a exibição da intimidade principalmente na adolescência. Além disso, há o perigo do contato com estranhos que pode resultar em tentativas de assédio, aliciamentos ou golpes. Estejam sempre presentes, avaliando os conteúdos consumidos e intervindo sempre que necessário”, alertou.

Serviço – A Prefeitura de João Pessoa oferece serviços psicológicos de forma gratuita para crianças e adolescentes através do Caps Infanto Juvenil Cirandar, que fica localizado na Avenida Gouveia Nóbrega, S/N, no Roger. O local funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h e das 13h às 17h. O telefone de contato é 3214-6079.

Fonte: SECOM/PB

Foto: SECOM/PB