domingo, 25 de fevereiro de 2024
Política 11, fevereiro, 2024

Vereador reclama depois de ver derrotados pedidos de sessões especiais

thumb

Em seu primeiro discurso de 2024, o vereador Marcos Henriques (PT) usou a tribuna da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) para enfatizar sua indignação por não poder debater na Casa dois temas importantes para população: o aumento da tarifa do transporte coletivo público e a política ambiental da cidade. Os requerimentos (um de sua autoria e outro do vereador Junio Leandro) propondo os debates foram rejeitados por maioria em plenário. O vereador ainda se indignou com a homenagem que receberá na Casa o ex-presidente Jair Bolsonaro.

“Venho repudiar a falta de autonomia desta Casa ao não aprovar audiência pública para debater assuntos tão importantes para cidade como são a mobilidade urbana – aumento das tarifas dos ônibus. Se leva o assunto para um Conselho, que segundo denúncias é tendencioso e sem a voz da sociedade. Ainda tem o ‘geladinho’ (ônibus com ar condicionado e wifi) que destila preconceito quando proíbe pessoas com deficiência e idosos de circular por eles. O prefeito Cícero Lucena prometeu ar condicionado e wifi no transporte coletivo, mas só disponibiliza para uma parte da população com a passagem mais cara”, alegou. 

Outra indignação do vereador foi a rejeição do requerimento que debateria a política ambiental de João Pessoa. “Uma segunda audiência pública foi rejeitada hoje. Pretendíamos debater uma das principais bandeiras do meu mandato: a questão do meio ambiente. Estamos preocupados com a derrubada de árvores na nossa cidade e o aumento de pontos de calor, além da aprovação de um Plano Diretor que vai transformar Áreas de Preservação Ambientais (APA) em áreas habitacionais” arguiu.

Segundo ele, a cidade está cada vez mais quente com a supressão de diversas árvores.  “Existe um estudo que afirma que cada árvore plantada demora 15 anos para combater o efeito estufa. A população se mobilizou nos Bancários para evitar a derrubada de ipês amarelos protegidos. Queremos parque aquático, mas precisamos olhar para o meio ambiente. Trago este alerta neste primeiro pronunciamento”, asseverou. 

Marcos Henriques ainda se indignou com a homenagem que a Casa vai prestar ao ex-presidente Jair Bolsonaro, entregando o Título de Cidadão Pessoense, no próximo dia 16 de fevereiro, através de uma propositura do vereador Carlão, aprovada em 2019. “Uma vergonha uma homenagem a um presidente que tirou dinheiro das universidades e da saúde e isolou o Brasil do resto do mundo. Um sujeito que a justiça está investigando”, ressaltou.

Fonte – SECOM-CMJP