Sexta, 15, Janeiro, 2021
banner

E o cuscuz virou patrimônio!

19, dezembro, 2020

Foi a Unesco quem falou: o cuscuz agora é patrimônio da humanidade! Quem diria que aquele prato simples, muitas vezes relacionado a quem não tem dinheiro para algo mais sofisticado, se tornaria famoso e desejado. Muito mais que isso, entraria para o rol das celebridades como ‘patrimônio cultural e imaterial da humanidade’.

A massa feita de flocos de milho, cujo pacote com 500 gramas custava até bem pouco tempo em torno de R$ 1,00, rende pratos maravilhosos a depender da criatividade, muito comum nos lares mais simples do Nordeste brasileiro.

Aliado a outro produto que também custava bem barato até bem pouco tempo, o cuscuz tem no ovo frito o seu aliado fiel. Quer prato mais comum do que cuscuz com ovo e um copo de café? Esse é tradicional! No entanto, as variações para o cuscuz são enormes e posso até dizer imensuráveis, visto que a cada momento pode surgir um novo ingrediente para acompanhá-lo, isso vai depender da criatividade do mestre cuca ou do mestre de obra!

Cuscuz com charque é uma delícia! Cuscuz com calabresa, cuscuz queijo, com leite ou simplesmente com manteiga. Tudo leva a crer que o novo patrimônio da humanidade é mesmo o rei da cocada preta, branca e de todas as cores.

E não é só no Nordeste que o “bichiguento” é famoso! Para conceder o título, a Unesco levou em consideração que o cuscuz é um prato que a festa não só no Brasil, mas em várias partes do mundo. A decisão foi tomada após o comitê receber um pedido em conjunto da Argélia, Mauritânia, Marrocos e Tunísia. A informação é da agência France Presse.

Além disso, foi levada em consideração a importância das tradições no momento de preparação e consumo do cuscuz, já que o alimento é consumido nesses países em momentos festivos e de grande importância cultural.

Aqui no Brasil não é necessário um momento especial para consumir o cuscuz. Ele já é consumido no dia-a-dia pelo baixo custo. É uma opção de refeição forte que pode chegar à mesa das famílias brasileiras que vivem com um salário mínimo – um dos menores do mundo. O cuscuz é aliado dos pobres e, por modismo ou desejo excêntrico também chega com pompa e glamour à mesa dos ricos.

Todo o mérito alcançado pelo cuscuz deve ser creditado aos menos favorecidos economicamente. Eles que tornaram tradição o prato mais conhecido – e agora desejado, pois se tornou chique – do mundo.

Viva o ouro do Nordeste! Viva os flocos de milho pré-cozido, flocão ou simples cuscuz. Assim como aconteceu com o forró nordestino, quando se tornou chique arrastar pé nos grandes salões e na televisão, o cuscuz agora deverá ser apreciado pela alta sociedade e será oferecido em jantares como iguaria.

O que não faz um título da Unesco, hein?

Compartilhe:
banner