Terça, 19, Janeiro, 2021
banner

Sem o genial Genival, MPB fica mais pobre

7, janeiro, 2021

A música brasileira amanheceu sem o genial Genival! Morreu na manhã desta quinta-feira (7), o cantor e compositor paraibano Genival Lacerda.

“Seu Vavá”, como era conhecido popularmente no meio musical, morreu aos 89 anos, vítima de complicações da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Ele estava internado na UTI da Unimed, em Recife (PE), desde o dia 30 de novembro de 2020.

Genival Lacerda foi um ícone do forró e das gargalhadas. Quem viu sua performance nos palcos jamais esquecerá sua irreverência e sua “quebrada de bucho”, jogando a barriga pra frente e dando empinadas ao cantar sucessos como “Severina Xique-Xique”,  “De quem é esse jegue?”, “Mate o Véio” e “Radinho de Pilha”.

Minha memória afetiva me traz recordações da infância, quando no bairro 13 de Maio havia uma senhora chamada Severina que vendia tecidos ao quilo (uma novidade em João Pessoa). Minha mãe era costureira e a loja de Dona Severina era a sensação do momento. Sensação também era o sucesso de Genival Lacerda, no auge com “Severina Xique-Xique”.

Não demorou muito para a pirralhada da rua, inclusive esse que vos escreve, se agachar no muro de Dona Severina e cantar: “…Ele tá de olho é na butique dela…Quem não conhece Severina Xique-Xique que botou uma butique para a vida melhorar…!”, e depois sair correndo em disparada. Acho que minha mãe nunca soube disso!

Assim era “Seu Vavá”: a imagem do Nordeste sem rodeios e sem frescura. Um artista puro, sem necessidade de brilhos artificiais. Sua música tinha a cara do povão, sem forçar barra nenhuma nem seguir modismos. Cantava com sua sandália de couro, suas camisas soltas ao vento e um talento indiscutível, dominando a cena e fazendo o público ir ao delírio. Assim era “seu Vavá!”.

História de um campinense arretado

O cantor e compositor nasceu em Campina Grande, na Paraíba, em 5 de abril de 1931. Chegou a trabalhar na cidade como radialista, mas fez a primeira gravação como cantor quando já morava em Recife, para onde se mudou em 1953.

Genival Lacerda gravou seu primeiro disco em 1956, um compacto duplo com “Coco de 56”, escrito por ele e João Vicente, e o xaxado “Dance o xaxado”, feito por ele com Manoel Avelino.

Em 1964, se mudou para o Rio de Janeiro. A consagração nacional veio com “Severina Xique Xique”, de 1975. O refrão “ele tá de olho é na butique dela” virou sua marca.

Em seguida, vieram sucessos como “Radinho de pilha”, “Mate o véio” e “De quem é esse jegue”, que consolidaram o estilo bem humorado do “seu Vavá”, como também era conhecido.

Compartilhe:
banner