Terça, 19, Janeiro, 2021
banner

Vacina covid-19: o primo rico vai à farmácia; o pobre assiste ao circo de casa!

6, janeiro, 2021

Augusto Magalhães

Minha gente, existe limite para a crueldade? Existe povo mais idiota no mundo que o brasileiro? Acredito que não! Não bastasse todas as manobras para dificultar a liberação de uma vacina contra o coronavírus feitas claramente pelo presidente delinquente, a novidade é que empresários estão indo em comissão à Índia para comprar a vacina (Covaxin) e oferecer na rede privada.

O que isso significa? Que o primo rico vai à farmácia ou ao laboratório mais próximo e compra sua dose (“mais uma dose? É claro que estou a fim…!” Por que que a gente é assim?/Cazuza).

Já o primo pobre fica em casa à mercê do delinquente presidente, assistindo ao circo armado por ele todos os dias, esperando sua má vontade para decidir quando e quem terá direito à vacina.

Já vi comentários da classe média (alta ou baixa, nem sei!) do tipo: “mas fulana, é melhor porque eu tenho plano de saúde e se eu tenho plano e posso pagar pela vacina, vai sobrar mais vacina para quem não tem”.

Eu não entrei na conversa porque a resposta não foi para mim e, na verdade, nem sei como isso foi parar no meu facebook (devo ter algum amigo em comum) e também porque tenho ainda um pouco de educação, mas a vontade era dizer: minha senhora, a obrigação do governo é oferecer a vacina para todos – ricos, riquíssimos, pobres e paupérrimos – e além disso, os paupérrimos também pagam plano de saúde, a senhora sabia disso?

Eles pagam no momento em que compram um palito de fósforo e recolhem imposto sobre esse produto. Só que o dinheiro dele não vai para o plano conveniado da senhora e sim para o governo administrar e lhe oferecer saúde, educação e segurança. Se a senhora tem dinheiro suficiente, além de comprar vacina, poderia fazer um curso, ter uma formação superior, algo que lhe abrisse a mente.

Eu não isso disse no face, dou minha cara à tapa… mas escrevo no meu blog. Eis a importância da democratização da informação via internet, quando se sabe utilizar a ferramenta, mas isso já é outra história!

Voltando ao circo de horrores, o que falta mais para o povo brasileiro admitir que elegeu um genocida, bandido, miliciano, que demonstra claramente sua indiferença às mais de 200 mil mortes no país? Inacreditável é ver pessoas que ainda resistem em manter a defesa monstruosa de um assassino no poder!

Bolsonaro não é nada mais do que isso. Se está vendo as mortes acontecerem sob seu nariz e não faz nada para impedir é, no mínimo, cúmplice. Se o povo não faz nada, não tem ânimo pra nada, onde estão os seus representantes? Não tem Congresso Nacional? Não tem Partidos de Esquerda que façam uma oposição a isso? Não existem entidades de classe? Por onde anda a Ordem dos Advogados do Brasil? Cadê a Central Única dos Trabalhadores?

“Êta, Êta, Êta… Êtáaa! É a lua, é o sol, é a luz de Tieta, êta, eta…” (A luz de Tieta/Caetano Veloso)

O Brasil não suporta mais ouvir notas de repúdio lidas na TV a cada novo escândalo. Agora não se trata de dinheiro depositado em contas de aliados, mas da discriminação sobre quem pode ou não tomar a vacina.

Minha gente, retorno ao ponto inicial: existe limite para a crueldade? Se você tem dinheiro e paga plano de saúde é mais justo que tome a vacina em detrimento daquele que aquele que não tem? Quanto custará essa vacina na farmácia de sua preferência? Liga pra saber o preço!

Daí você faz um pix para o cpf do farmacêutico e está tudo certo. Leva só uma picadinha. Enquanto milhares ficam em casa assistindo o palhaço de graça na tela da TV.

E não venha me dizer que existem outras vacinas que podem ser adquiridas na rede privada, tipo contra a meningite e outras. Acontece que essas doenças já estão sob controle e não há uma pandemia em curso. No caso da Covid-19 poderá até vender vacina nos anos subsequentes, mas neste momento de pandemia é, no mínimo, cruel e desumano!

Vamos tomar um café?

Compartilhe:
banner