sábado, 22 de junho de 2024
Economia 14, agosto, 2023

Governo da Paraíba promove aproximação entre startups paraibanas e investidores na Expotec

thumb

O Governo da Paraíba, por meio da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Ensino Superior (Secties), em parceria com a Fundação de Apoio à Pesquisa da Paraíba (Fapesq), realizou na Expotec 2023, encerrada na sexta-feira (11) o Demoday: uma oportunidade para startups que estão no Programa Parque Tecnológico Horizontes da Inovação (PTHI) se aproximarem de investidores e impulsionarem seus empreendimentos. Foi uma ação inédita do governo estadual que investiu R$ 3 milhões, por meio do edital Conectando Startups: Tecnologias Educacionais e Turismo Sustentável, aberto em 2022.

Foram selecionados 12 projetos, a partir do edital e apresentados, em formato de “pitch”, uma metodologia que dinamiza os trabalhos permitindo um tempo curto de exposição. Cada projeto recebeu o aporte financeiro de até R$ 150 mil em subvenção.

A atividade é desenvolvida no âmbito do Programa PTHI pelo qual os empreendedores receberam apoio na mobilização do ecossistema de inovação para o desenvolvimento de um produto minimamente viável (MVP). Eles passaram por um processo de oito meses e agora demonstram aos investidores a evolução dos projetos.

O evento teve a participação do secretário de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Ensino Superior, Cláudio Furtado; da secretária-executiva de Inovação, Elis Regina Barreiro; do secretário-executivo da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Rubens Freire; da coordenadora de Programas e Projetos da Fapesq, Patrícia Costa; e da coordenadora do Programa Parque Tecnológico Horizontes de Inovação, Francilene Garcia Procópio.

“Esse Demoday já reflete investimentos que a secretaria tem feito nos últimos meses para selecionar empresas inovadoras com editais focados em linhas específicas. A próxima etapa para a Secties serão novos editais para novas linhas que o Programa PTHI vai atuar: a questão da longevidade, das energias renováveis, TI, TIC e a cultura. Em breve, teremos novidades sobre editais que visam fazer subvenção para entidades culturais: uma maneira de fomentar a economia criativa”, informa o secretário da Secties, Claudio Furtado. 

Para a secretária Executiva de Inovação, Elis Regina Barreiro, hoje se comprova que há meios de expandir os limites de investimentos na Paraíba, uma vez que neste Demoday participam investidores de fora do estado.

“Estamos vivenciando algo inédito”, salienta a secretária-executiva. “O primeiro Demoday que promovemos através do programa Parque Tecnológico; é algo que marca esse novo momento do programa Parque Tecnológico junto da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Ensino Superior, ou seja, dentro de uma secretaria específica que vai cuidar do fomento ao empreendedorismo com base tecnológica na Paraíba. A expectativa é de atrair o capital privado para a continuidade dos projetos aqui apresentados,” destaca Elis Regina.

Investimentos iniciais feitos pelo governo estadual firmam empreendimentos

Os projetos foram analisados por uma banca de investidores especialista no setor de tecnologias para educação e turismo. Presencialmente: Alex Pinheiro, pioneiro no setor de edtech; Fabiana Medeiros, responsável por fomento para inovação via Plataforma de Inovação SENAI; Wilson Roberto, advogado, empresário e especialista em participação virtual; Diogo Catão, CEO da Dome Ventures. A cada apresentação, eles atribuíram recomendações para a evolução dos negócios.

Laís Catarine Ramos, especialista em Turismo participou do “pitch”. Ela trabalha com a WeGuide, uma startup que desenvolve a inovação nos serviços de guias de turismo, e declarou: “Nosso objetivo é amadurecer nossa proposta de valor, compreender onde podemos ir. Porque quando entendermos isso, os sócios chegarão de verdade porque saberão do nosso potencial. Com a subvenção do Governo do Estado recebida pela Fapesq, fizemos a parte do modelo de entendimento à proposta de valor e tudo que isso envolve. Hoje estamos modelando esse crescimento para sermos atrativos para esses sócios. Somos imensamente gratos ao Parque Tecnológico (PTHI); esperamos outras iniciativas com esse intento, porque aqui na Paraíba isso é muito raro. É uma importante iniciativa do Governo do Estado, entender que somos soluções que realmente precisam de incentivo para desenvolvermos nosso ecossistema de inovação”, afirma Laís. 

A coordenadora do programa Parque Tecnológico Horizontes de Inovação, Francilene Garcia, explica de que forma a metodologia do edital vem  favorecendo o processo evolutivo vivenciado pelos representantes dos  projetos.

“O primeiro desafio deste edital era que as empresas situadas no Estado da Paraíba, com soluções potenciais para resolverem problemas reais dos setores da educação e do turismo sustentável, tivessem a oportunidade de dialogar com os reais atores que convivem com as duas áreas identificando as verdadeiras ‘dores’. Essas empresas passaram por uma imersão para que elas tivessem uma validação se a solução que elas tinham de fato atendiam ao seu segmento.A imersão foi fundamental para que as empresas pudessem revisitar as soluções que tinham nas suas startups e adequar para o nível das demanda apresentadas”.

“O segundo momento era oferecer as melhores condições de acesso ao capital  para que essas empresas, uma vez com a solução, pudessem contactar investidores do mercado. Trata-se de fundos privados, em geral, que atuam no mercado de risco, sobretudo na área do empreendedorismo inovador, e que estão aqui presentes neste momento [Demoday].”

“O terceiro desafio é o retorno dessas empresas aos locais onde elas identificarem as ‘dores’ e validarem mais uma vez as soluções e assim aprimorar os negócios”, conclui Francilene.

Os investidores deram dicas de como o negócio pode ser acelerado. Foi mencionado, com frequência, a questão da monetização e de que forma a empresa pretende tracionar o mercado com a solução que ela tem. Em mensagens finais, Fabiana Medeiros considerou que os empresários estão plantando sementes e a intenção é a construção de um ecossistema sólido. Alex Pinheiro, satisfeito com o movimento e a qualidade técnica apresentada, afirmou que “o que se viu aqui não perde para nenhum outro pitch em nenhum outro lugar”. Diogo Catão observou que o trabalho vem crescendo ao longo dos anos, e os empreendedores vão conseguir apresentar instruções cada vez melhores. E Wilson Roberto enfatizou que é importante ter o capital no momento certo.

Fonte – SECOM-PB