quinta-feira, 18 de agosto de 2022
Política 13, julho, 2022

Governo e Prefeitura buscam parceria com agência francesa para implantação do BRS da Capital

thumb

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente (Seirhma), está buscando parceria com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), para acordo de empréstimo, visando implantação do projeto Rede Integrada de Corredores de Transporte Público de João Pessoa. O investimento será de R$ 215 milhões. A Prefeitura da Capital elaborou o Plano de Mobilidade Urbana da cidade, que define os corredores e terminais de passageiros onde será implantado o plano de reestruturação.

Para viabilizar o projeto, o Estado está discutindo com a Agência Francesa de Desenvolvimento a implantação de dois corredores: o de Cruz das Armas e o Pedro II e construir três terminais: o Terminal Metropolitano, no Varadouro, o Cruz das Armas e o Pedro II. A ação vai atender 65 por cento da população de João Pessoa, que reside em 35 bairros.

A Carta Consulta será submetida à Comissão de Financiamentos Externos (Confiex), do Ministério da Economia, ainda este mês de julho para aprovação do governo Federal, órgão garantidor, e a partir disso iniciar as negociações junto a AFD, para elaboração do projeto e assinatura do empréstimo.

A ação foi discutida em reuniões com representantes do Governo do Estado, da Prefeitura de João Pessoa e consultores da AFD na quinta-feira (07) e sexta-feira (08), visando apresentação do projeto e visita à cidade, onde será implantado o sistema de Bus Rapid Service (BRS), para dar prosseguimento ao trâmite.

O projeto de reestruturação conta com o Bus Rapid Service (BRS) ou serviço rápido por ônibus conta com faixas preferenciais de ônibus, racionalização das linhas, escalonamento dos pontos de parada, instalação de novos abrigos com informação digital em tempo real, fiscalização eletrônica e sistema de informação ao usuário.

A iniciativa trará benefícios para a mobilidade da população do município logo após sua implementação, como redução do tempo de viagem, aumento da velocidade de circulação dos ônibus nestes corredores, mais integração de modais nos terminais de integração construídos, com maior acessibilidade e segurança para a população.

Fonte: SECOM/PB