Quinta, 24, Junho, 2021
Saúde 7, junho, 2021

Hospital de Patos reforma bloco cirúrgico e cirurgias são realizadas na sede da Ginecam

thumb

As cirurgias do Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro (CHRDJC), de Patos, estão acontecendo, a partir desta segunda-feira (7), na sede da Ginecam. A mudança temporária se dá em função do início da reforma do bloco cirúrgico da unidade. Nesse domingo (6), funcionários de vários setores do hospital passaram todo o dia desmontando, transportando e montando equipamentos da unidade para que nesta segunda-feira já pudesse ser feita a primeira cirurgia no novo local.

“Antes da mudança, todos os detalhes foram pensados de forma minuciosa para que não houvesse nenhuma intercorrência, nem comprometimento de nenhuma ordem no fluxo de nossos serviços”, enfatiza o diretor geral do Complexo, Francisco Guedes, agradecendo à força-tarefa dos profissionais neste domingo, que possibilitou que tudo ficasse pronto nesta segunda-feira, quando foi realizada a primeira cirurgia ortopédica de uma fratura no antebraço direito de uma paciente de 31 anos.O ortopedista Waerson Souza e o anestesista Tavio Leal foram os responsáveis pelo procedimento.

A coordenadora de Regulação em Saúde do Complexo, Lidiane Nascimento, explica como se dará o novo fluxo. “Os pacientes que chegarem à nossa porta de entrada, seja via regulação ou demanda espontânea, serão acolhidos e passarão por uma avaliação dos nossos plantonistas. A partir desta avaliação e da necessidade de exames complementares, nós teremos uma equipe de transporte 24h, com médicos e enfermeiras, que estarão transferindo esse paciente para a Ginecam se ele necessitar de algum procedimento cirúrgico”, destaca Lidiane, lembrando que, paralelamente a essa conduta, uma equipe da unidade já estará avisando à equipe da Ginecam que esse paciente está sendo transferido. “Ao chegar à Ginecam, a sala e equipe já estará pronta para realizar o procedimento”, enfatiza Lidiane. As equipes médicas e de enfermagem e suporte ficarão de plantão tanto na sede da Ginecam, quanto na unidade. “O fluxo é que definirá essa questão”, observa Lidiane.

Ainda segundo ela, após a realização do procedimento, o paciente ficará em observação numa sala de estabilização e, somente após o período de observação necessário a cada caso e com absoluta segurança, o paciente será removido para o seu leito no Complexo. Lidiane destaca que, além das ambulâncias para o transporte dos pacientes 24h, todos os dias da semana, o Complexo ainda dispõe de dois veículos que ficarão exclusivos, um para o transporte de material sujo e o outro para o transporte de material limpo. Além disso, todos os dias, uma equipe da Farmácia do Complexo visitará a Ginecam para repor os insumos e medicamentos necessários aos procedimentos. A coordenadora do bloco cirúrgico passa a dar expediente na sede da Ginecam para dar todo o suporte necessário aos procedimentos enquanto durar o processo de reforma do bloco cirúrgico do hospital, que tem previsão de três meses.

“A reforma era necessária e urgente e pensamos muito em como proceder sem que houvesse interrupção de nossos serviços, garantindo a segurança de procedimentos e a melhor forma que encontramos foi esse convênio com a Ginecam”, reiterou Francisco, lembrando que todos os fluxos foram pensados em seus mínimos detalhes. “Montamos toda uma logística que vai nos permitir continuar com o mesmo ritmo de trabalho, atendendo a nossa demanda e assegurando a segurança dos procedimentos e, consequentemente, preservando os nossos pacientes, que é o mais importante”, finalizou Francisco, agradecendo o apoio de sua equipe na transferência dos equipamentos, na obediência aos fluxos definidos e também à direção do Hospital Noaldo Leite e à Polícia Militar, que deram um importante suporte na logística e ação desse domingo, cedendo viaturas para o transporte dos equipamentos.

Fonte – SECOM-PB