Sexta, 22, Outubro, 2021
Política 11, julho, 2021

Oito partidos defendem sistema eleitoral atual

thumb

Oito partidos divulgaram uma nota conjunta, neste sábado (10), em defesa do sistema eleitoral brasileiro. O texto é assinado pelos presidentes do DEM, MDB, PSDB, Novo, PV, PSL, Solidariedade e Cidadania.

As siglas disseram que têm confiança nas eleições. O sistema eleitoral é “moderno, célere, seguro e auditável“, lê-se. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse na última quinta-feira que, sem voto impresso, não haverá pleito em 2022. Também chamou o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, de “idiota” e “imbecil”.

“A Democracia é uma das mais importantes conquistas do povo brasileiro, uma conquista inegociável. Nenhuma forma de ameaça à Democracia pode ou deve ser tolerada. E não será“, afirmou a nota.

Bolsonaro quer alterar o modelo de votação e adotar o voto impresso. Mudanças eleitorais, porém, precisam ser aprovadas até outubro deste ano para valerem em 2022. Após dois dias de polêmica, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, já disse que quem vai decidir a questão é o Congresso.

Em defesa dos valores democráticos:

A Democracia é uma das mais importantes conquistas do povo brasileiro, uma conquista inegociável. Nenhuma forma de ameaça à Democracia pode ou deve ser tolerada. E não será.Nas últimas três décadas, assistimos a muitos embates políticos, tivemos a sempre salutar alternância de Poder, soubemos conviver com as diferenças e exercer com civilidade e responsabilidade o sagrado direito do voto. Temos total confiança no sistema eleitoral brasileiro, que é moderno, célere, seguro e auditável. São as eleições que garantem a cada cidadão brasileiro o direito de escolher livremente seus representantes e gestores. Sempre vamos defender de forma intransigente esse direito, materializado no voto. Quem se colocar contra esse direito de livre escolha do cidadão terá a nossa mais firme oposição.

  • ACM Neto (Democratas),
  • Baleia Rossi (MDB),
  • Bruno Araújo (PSDB),
  • Eduardo Ribeiro (NOVO),
  • José Luís Penna (PV),
  • Luciano Bivar (PSL),
  • Paulinho da Força (Solidariedade)
  • Roberto Freire (Cidadania)

Fonte: Blog Sony Lacerda