Segunda, 06, Dezembro, 2021
Economia 4, junho, 2021

PBGás conecta hotel e edifícios em nova rede de gás canalizado no Bessa e Jardim Oceania

thumb

Ogás natural canalizado vem se expandindo no segmento hoteleiro de João Pessoa e Campina Grande. A PBGás conectou mais um hotel, o Oceano Atlântico, na orla do Bessa, que já opera com aquecimento de água dos quartos e nos dois restaurantes.

Com a nova ligação, já são 42 hotéis ligados ao gás natural, possibilitando aos seus clientes e funcionários uma maior comodidade, segurança e economia. Dentre os novos empreendimentos conectados ao gás natural na nova rede de gasoduto do Bessa e Jardim Oceania também estão os edifícios Concept, Sabino Holanda e Residencial Abaporu, que juntos totalizam mais de 100 unidades habitacionais.   

O diretor-presidente da PBGás, Jailson Galvão, destacou os investimentos superiores a R$ 4 milhões na ampliação da rede de gás canalizado numa extensão de 12 km no bairro do Bessa e Jardim Oceania, possibilitando a ligação de hotéis, prédios residenciais e, em breve restaurantes, numa área com forte vocação turística.  

Para o diretor técnico comercial da PBGás, Odilson Nóbrega, com a expansão da rede de gás natural para novas áreas em João Pessoa e Campina Grande  a companhia ganha em aceitação e credibilidade junto aos seus clientes comerciais e residências. “Fatores como comodidade, segurança e economia com os custos de energia estão entre as vantagens que levam cada vez mais empresários e moradores de condomínios a optarem pelo gás natural”. 

Novos Empreendimentos – O construtor Cândido Lucena, da construtora Embraco, está satisfeito com as vantagens da instalação do gás canalizado no edifício Concept no Bessa. Ele destacou que o gás natural proporciona uma melhor qualidade de vida para os moradores dos empreendimentos pela comodidade do fornecimento contínuo e por ter um custo mais acessível que o gás de botijão. “A PBGás se mostrou ágil na ligação da rede de gás e os moradores do edifício já iniciaram a nova moradia com o fornecimento do gás em suas cozinhas”, destacou Cândido.

Fonte – SECOM-PB