segunda-feira, 15 de agosto de 2022
Geral 1, agosto, 2022

Sedec convoca mais 590 candidatos classificados em processo seletivo do Programa Educador Social Voluntário

thumb

A Prefeitura de João Pessoa, através da Secretaria de Educação e Cultura (Sedec-JP), lançou neste sábado (30) o quarto e último edital para preenchimento de vagas no programa Educador Social Voluntário. Os 590 selecionados nesta etapa passarão por um processo de formação nesta quinta-feira (4), no auditório da Faculdade Uninassau, na Avenida Epitácio Pessoa.

Segundo a chefe da Divisão da Educação Especial (DEE), professora Rejane Lira, o edital para a seleção de cuidadores voluntários foi lançado em fevereiro, com 400 vagas, mas inscreveu quase oito mil candidatos. Conforme explicou, desses, 1.514 foram classificados. Já foram chamados 920 e agora mais 590. As bolsas são nos valores de R$ 700 para quem optou por apenas um turno e de R$ 1.400 para os dois turnos.

“Por isso dividimos as turmas para a formação e assinatura do termo de adesão para serem enviados às unidades onde atuarão. Nesta quinta-feira, os classificados de 921 a 1.221 devem se apresentar das 8h às 11h e os que ficaram na posição 1.222 a 1.514 no horário das 13h às 16h”, informou e lembrou que “quem perder o prazo terá cinco dias, a contar desta data, para apresentar atestado e outras justificativas para não ser desclassificado, pois essa formação é eliminatória”.

A lista com os novos convocados pode ser acessada pelo link do Portal da Transparência. Rejane Lira lembra que no dia da formação, é necessário apresentar a cópia legível do cartão bancário no nome do candidato; certidão de quitação eleitoral emitida através do site do Tribunal Superior Eleitoral; certidões negativas de antecedentes criminais da Polícia Civil, Justiça Estadual (primeiro e segundo graus); e Justiça Federal (primeiro e segundo graus). “Todas referentes ao local de domicílio do candidato”, frisou.

Atribuições – Os cuidadores voluntários prestarão auxílio diretamente aos estudantes que possuam qualquer deficiência física, intelectual, transtorno global do desenvolvimento e altas habilidades e superdotação, assistindo-o quanto aos cuidados básicos de alimentação, higiene, locomoção, recreação e organização das condições do ambiente escolar, para realização das atividades escolares orientadas pelo professor.

Ainda é sua função acompanhar e prestar auxílio ao estudante durante as atividades pedagógicas, para que possam realizar as atividades cotidianas e as propostas pelos professores durante as aulas e extraclasse, visando assim sua efetiva participação pedagógica na unidade educacional (escola ou Crei).

Fonte: SECOM/JP

Foto: SECOM/JP