Sexta, 22, Outubro, 2021
Política 19, maio, 2021

Vacinação de trabalhadores da Educação é defendida na CMJP

thumb

O líder da bancada da situação na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), vereador Bruno Farias (Cidadania), defendeu, durante pronunciamento da sessão desta terça-feira (18), a vacinação dos trabalhadores da Educação. Ele garantiu que a Prefeitura da Capital está seguindo o Plano Nacional de Imunizações (PNI).

O parlamentar defendeu o cumprimento do Plano e citou decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que indeferiu pedido de suspensão da vacinação de profissionais da Educação, solicitado pelo Ministério Público Federal (MPF) por este entender que a vacinação do grupo não respeitava a fila de prioridades do PNI. “A prefeitura demonstrou que vem cumprindo à risca o Plano Nacional de Imunizações”, enfatizou citando a ordem dos grupos prioritários vacinados.

“A prefeitura primeiro vacinou pessoas com mais de 60 anos e profissionais de Saúde, em seguida o público-alvo foi pessoas com comorbidade acima de 18 anos. Vacinamos todas as pessoas que procuraram nossos postos de imunização. Houve consenso com o Governo do Estado para que a ele fosse dada a atribuição para vacinar os apenados e pessoas que integram o sistema penitenciário. A prefeitura já está vacinando os moradores de rua. Houve uma pausa de dois dias por causa das chuvas, mas a vacinação já foi retomada”, explicou.

Bruno Farias disse não entender o sentido da disputa judicial do MPF com relação aos trabalhadores de educação, uma vez que eles também são caracterizados como grupo prioritário. “A prefeitura está envidando todos os esforços para valer esse direito não só dos professores, mas de todos os trabalhadores da Educação”, enfatizou informando que 4 mil trabalhadores já foram vacinados.

“A Educação mais do que nunca precisa deixar o discurso e partir para a realidade. Não podemos elevar a educação apenas em falas públicas, temos que ultrapassar as falas para alcançar as ações administrativas e alçar a Educação como prioridade máxima da gestão. Só assim conseguiremos vencer o obstáculo da desigualdade social no país”, afirmou parabenizando o prefeito Cícero Lucena (Progressistas) e o corpo jurídico da gestão que conseguiu vencer o embate judicial.

Os vereadores Carlão, Tarcísio Jardim (ambos Patriota) e Marcos Henriques (PT) se acostaram ao pronunciamento de Bruno Farias. “É preciso fazer a diferenciação entre o que é legal e o que é legítimo. O legal origina-se da Lei; o legítimo é o que sai da vontade popular. A base é a razão e a justiça. Quando a gente faz essa diferenciação, conseguimos compreender o trabalho brilhante da Prefeitura nessa batalha travada, e que bom que a prefeitura não silenciou”, afirmou Carlão.

Fonte: CMJP